Antonio Azevedo, presidente da ABAV, dá início à 40ª edição da Feira de Turismo das Américas

 

Cerimônia de abertura foi marcada pela presença de agentes de viagens, imprensa e com Gastão Vieira, atual ministro do Turismo.

                
 
Começou hoje a 40ª edição da ABAV – A Feira de Turismo das Américas, com o discurso do presidente Antonio Azevedo. Segundo ele: “Este é o palco ideal para que os players do setor, expositores e visitantes aproveitem para conquistar resultados, ampliar conhecimentos e contatos, identificar tendências de mercado e realizar ótimos negócios”.

À frente da Associação Brasileira de Agências de Viagens (ABAV Nacional) desde o ano passado, o executivo ressaltou a importância do evento para o setor como um todo, enfatizando que, atualmente, o turismo é essencial para o desenvolvimento econômico e social sustentável, o que o leva a classificar este encontro como a “principal feira internacional de turismo do Brasil”.

Depois de mencionar a parceria estratégica firmada com a ITB Berlim, considerada a maior feira de turismo do mundo, e com a Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), Azevedo destacou o apoio do Fórum das Associações das Agências de Viagens da América Latina e da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), revelando, em seguida, os números do evento: são mais de 1.350 expositores espalhados por quase 450 estandes em uma área total de 45 mil m², espaço 15% maior em relação à edição do ano passado.

Contando com a presença de 51 países, a expectativa é de que, até sexta-feira (27), circulem pelo Riocentro mais de 20 mil pessoas.

Durante o discurso, Azevedo abordou a questão do Projeto de Lei 5.120, que regulamenta a atividade desempenhada pelas agências de viagens, e pediu especial atenção do ministro Gastão Vieira no que concerne à aprovação do PL. Além disso, revelou uma das novidades para a edição do próximo ano: a ABAV será aberta ao público final, visando estimular a compra pelas agências e a ampliação de roteiros, destinos e produtos brasileiros.

O presidente também citou o Fundo Garantidor de Serviços de Turismo, proposto pela entidade ao Ministério do Turismo e que tem como objetivo proteger os interesses dos consumidores, principais atingidos quando um fornecedor de serviços turísticos opta por suspender suas atividades repentinamente. Neste sentido, Azevedo alertou que a ABAV espera que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) garanta a segurança e a credibilidade de todo o sistema, fiscalizando de perto os maiores aeroportos do país.

No que diz respeito às companhias aéreas, o executivo salientou que o relacionamento com a ABAV é o melhor possível, apesar de algumas divergências políticas. Como exemplo, Azevedo citou a resistência em efetuar a cobrança da DU em todos os seus canais, o que inclui a venda por meio da internet. Se adotada, esta medida seria extremamente favorável à agência, reforçando seu fluxo de caixa e reduzindo risco de interrupção de operações, além de permitir que a empresa minimize a cobrança de multas.

Antonio Azevedo finalizou seu discurso com um agradecimento especial a toda a equipe da ABAV e defendeu a relevância de a classe se manter unida e encerrou com os versos de Geraldo Vandré: “Vem, vamos embora, que esperar não é saber; quem sabe faz a hora, não espera acontecer”.

Dentre as autoridades presentes à cerimônia de abertura, o grande destaque foi a presença de Gastão Vieira, ministro do Turismo. Depois de ressaltar o peso que a feira representa para o setor, Vieira aproveitou a oportunidade para divulgar alguns dados da quinta edição da pesquisa que estuda o comportamento dos turistas brasileiros entre 2007 e 2011.

De acordo com o estudo, que entrevistou 39 mil famílias, a quantidade de pessoas que realiza viagens dentro do país cresceu 18,5%, o que, em números, corresponde a um acréscimo de 9,2 milhões de viajantes. Apenas no ano passado, quase metade da população brasileira (48,5%) viajou pelo menos uma vez. Dos entrevistados, 44% optaram por percorrer o território nacional. A preferência por viagens domésticas subiu de 161 milhões, em 2007, para 191 milhões em 2011.

Apesar de a quantidade de viagens empreendidas por pessoas com renda de até quatro salários mínimos ter crescido mais de 21%, a falta de dinheiro apareceu como o principal motivo que impede os turistas de viajarem. Por sua vez, as famílias mais abastadas, que sobrevivem com mais de 15 mil reais, alegaram falta de tempo. A pesquisa apontou também que o lazer ainda é a grande alavanca do setor: saltou de 80,3%, em 2007, para 81,4% no ano passado.

Ao lado de Gastão Vieira, na mesa solene, estavam grandes nomes do turismo: Cecília Meireles, Secretário de Estado do Turismo de Portugal; Antonio Ribeiro de Melo, representando Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro; Ronald Ázaro, Secretário de Estado de Turismo, representando o governador Sérgio Cabral; Ronaldo Vieira Coutinho, governador do Estado da Paraíba; Edmar Bull, presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas (Abracorp) e Jackson Pitombo Cavalcante Filho, Secretário de Estado do Paraná, entre outros.

REBG
Informações Jefferson Severino
 


© Copyright 2011 - Todos os Direitos Reservados - Revista Espaço Brasil Gente
Desenvolvido por: